Guarulhos é bi na Metropolitana

Assim como prometido, o time de Guarulhos defendeu o título da Copa Metropolitana APADEP e ficou com o bi!

A equipe abriu o torneio contra a Barra Funda e no jogo mais acirrado da noite de ontem, dia 18, no Playball Pompeia, venceu por 4 a 3. Mais tarde, contra o ABCD, a partida foi mais fácil e terminou em 2 a 0.

O ABCD, por sinal, carregou mais uma lanterna para sua história. O time foi derrotado pelo da Barra Funda, de virada, por 3 a 1.

 

Guarulhos marca contra a Barra Funda (vídeo 1)

Barra Funda marcou 3 (vídeo 2)

 

Copa Metropolitana

Depois da conquista do bi na SuperCopa APADEP pelos Boleiros de La Roça de Ribeirão Preto, o time de Guarulhos está empolgado para ser bi pela Copa Metropolitana que acontece no próximo dia 18 de dezembro, a partir das 19h45, no Playball Pompéia.

Os times da capital e região metropolitana que quiserem desafiar os campeões já podem se inscrever e craques sem equipe fixa também poderão mandar mensagem para o WhatsApp da APADEP (11) 97619-2515, dizendo que querem participar.

Também é possível se inscrever apenas para o churrasco que será rateado entre todos. As inscrições podem ser feitas até 14 de dezembro e quem for participar do churrasco receberá as informações individualmente.

 

Copa Metropolitana

Data: 18 de dezembro

Horário: das 19h45 às 22 horas

Local: Playball Pompéia

Endereço: Av. Nicolas Boer, 66 – Pompeia, São Paulo

 

Superclássico feminino Cível x Criminal

 

Concomitante à Copa Metropolitana, a categoria de futebol feminino fará um Superclássico entre Cível e Criminal no dia 18 de dezembro, no Playball. As jogadoras podem se inscrever pelo WhatsApp da APADEP (11) 97619-2515 até 14 de dezembro e começar a se preparar. O jogo acontecerá antes da final da Copa Metropolitana.

4ª S4ª Supercopa conhece seu primeiro bicampeão: Boleiros de La Roça, o Real Madrid dos canaviais

Boleiros de La Roça levaram todos os troféus da SuperCopa

Foi daquele jeito, foi perfeito. A 4ª Supercopa teve tudo que a torna o maior torneio de futebol da carreira: gols, expulsões, rivalidade, discussões, jogadas bonitas e muitas histórias que não cabem em um só informativo. Fora de campo ainda teve churrasco, shows (pagode, sertanejo e rock) e reencontros. Se você quer saber tudo o que aconteceu, então vai ter que confirmar presença na próxima Supercopa dos Campeões. Mas nós vamos te contar um pouco, aquilo que cabe nessas poucas linhas.

Relato dos jogos:

 

Time do Crime 4 x 2 Grandíssimos do ABCDM

Foi um jogo digno do maior clássico da carreira. Os nervos estavam à flor da pele. Gols não faltaram. A expulsão do goleiro Danilo revelou um novo craque debaixo das traves: Rafael Galati assumiu a meta e não foi vazado. Teve ainda discussões, polêmica de arbitragem e um final emocionante. A Barra Funda ganhou mais uma, mas os operários do ABCD terão sua revanche no 4º Torneio Metropolitano. Essa rivalidade ainda durará muitos anos.

Gols: Juliano “Jubei” (duas vezes), Bruno “Quase Gol” Parise e Vitor “el tanque” Cavina para a Regional Criminal; Rafael Galatti e Gabriel Kenji para a Regional Grande ABCD.

Revelação: Vitor “el tanque” Cavina. Os olheiros da Barra Funda foram até Araçatuba contratar Wild, grande craque que disputou a I Supercopa pelo extinto “Vale Nada”. Acabaram trazendo “El Tanque” e ele foi o destaque do time. Com muita força física e uma bomba no pé, Vitor surpreendeu e já é especulada sua ida para Ribeirão Preto, que estaria disposto a envolver André Gazal na negociação.

 

Boleiros de La Roça 1 x 0 Panteras

Foi um jogo tático, estudado, truncado! Bruno “Roth” Scrignoli já é famoso na carreira por montar verdadeiros ferrolhos defensivos. Com o italiano Bonatelli no time, Bruno foi além, conseguindo um verdadeiro “catenaccio” que inibiu qualquer ação ofensiva dos Boleiros. Até que o sopro do genial Gazal derrubou a muralha: um chapéu no presidente Augusto e um toque sutil de cabeça. Os Boleiros começavam a pavimentar o caminho para o título.

Gols: André Gazal para a Regional Ribeirão Preto.

Revelação: já era esperado, mas Bonatelli mostrou que veio para ficar. Mesmo sem falar bem português, conseguiu se comunicar com seus companheiros na linguagem da bola. Muita raça e obediência tática fizeram dele o principal jogador dos Panteras no torneio.

 

Regional Criminal 0  x 0 Regional Campinas

Os Panteras precisavam da vitória, mas não mudaram em nada o esquema tático. Marcação atrás da linha da bola, obediência canina à proposta do maestro Bruno e mais um time anulado. Na saída do campo, já eliminado, Fábio “beca surrada” Sorge reclamava da ausência de Leandro “Chinelo”, que jogaria por Campinas, mas preferiu ficar em Taubaté. “Faltou profissionalismo, tínhamos um contrato com ele. Se depender de mim, aqui ele não joga mais”, disse Sorge, ainda de cabeça quente no pós jogo.

Revelação: Thiago Goes. Ele chegou com a faixa de campeão nacional no currículo e não decepcionou. Com toques rápidos e muita lucidez foi o complemento perfeito de “El Tanque”, uma junção perfeita, uma goiabada com queijo. Não pretende renovar contrato e sinalizou uma possível transferência para a Regional Central.

 

Boleiros de La Roça 2 x 1 Grandíssimos do ABCDM

Depois de jogar contra um verdadeiro muro, os Boleiros enfrentaram uma equipe que precisava vencer e, por isso, saiu para o jogo. E sair para o jogo contra os Boleiros não é uma boa ideia. No primeiro tempo foram dois gols com relativa facilidade. No segundo tempo apenas controlaram a pressão desordenada dos Grandíssimos, que ainda fizeram um gol, mas já era tarde. Eliminação vexatória dos operários e mais uma vitória na campanha perfeita dos Boleiros.

Gols: Aluísio (duas vezes) para os Boleiros de La Roça e Diogo para os Grandíssimos.

Revelação: Giancarlo, “uh tererê, Amaral do ABCD”. Ele não é coveiro, mas enterrou qualquer chance de gol de André Gazal. Marcador implacável, perseguiu o artilheiro de Ribeirão por todas as partes do campo. Foi a primeira Supercopa do “Giansteiger”, mas a diretoria do Grandíssimos correu para renovar seu contrato até 2022. Ele será o pilar da reconstrução da defesa do ABCD.

 

Grande Final: Boleiros de La Roça 3 x 0 Time do Crime

Poucas vezes a superioridade numa final foi tão clara. Os Boleiros estavam mais preparados e concentrados na busca do Bi. Se o primeiro tempo terminou apenas 1 x 0 para Ribeirão, no segundo tempo a justiça no placar foi feita. Ao Time do Crime restou o consolo de ter sido muito valente, brigador e não desistir nunca, mesmo diante da limitação física que se abateu sobre a equipe na etapa derradeira. O título ficou na roça e não vai ser fácil tirar de lá em 2019.

Gols: Aluísio (duas vezes) e Gazal.

Prêmio “Luva de Ouro”: André, com apenas um gol sofrido em três jogos.

Prêmio “Chuteira de Ouro”: Aluísio, com quatro gols marcados.

Em 2018 os Boleiros levaram tudo, não teve pra ninguém. Mas o ano do futebol ainda não acabou! No dia 18 de dezembro acontece o Torneio Metropolitano, uma competição entre os gigantes da capital e da metrópole. Fique atento e faça como sua regional: não perca!

Barra Funda fica no quase

O Time do Crime surpreendeu logo na estreia da SuperCopa ao bater com facilidade o Grandíssimos. Os reforços Thiago Goes e Vitor “el tanque” Cavina encaixaram bem no time e Edgar fechou o gol. Mas ficou só nisso. Garantiu-se na final com um empate injusto contra os Panteras e foi massacrado pelos Boleiros na grande decisão.

Embora não tenha vindo à público, o clima é péssimo no elenco. Tanto que o capitão Bruno Parise sequer compareceu à cerimônia de entrega das medalhas e perdeu a faixa ainda no sábado, dando lugar à João Amaral, novo capitão que tentará trazer paz ao vestiário.

A situação deve piorar com a perda iminente do craque Juliano Jubei. Ele fez um pedido formal à APADEP para se desligar do Time do Crime. Diz-se que ele tenta viabilizar um novo time na carreira já para a disputa do 4º Torneio Metropolitano.

Seria o retorno da regional Central?

Clima pesou no time do Crime

Grandíssimos dá vexame e é rebaixado

Crise abala equipe do ABCD

O Grandíssimos do ABCD esteve irreconhecível em Brotas. Perdeu as duas partidas, sem oferecer qualquer resistência, amargando o último lugar.

O rebaixamento para o grupo amarelo veio no estilo de um famoso clube grande carioca: com direito a expulsão do goleiro Danilo, brigas internas com Diogo (novidade?) e medalhões em campo tirando o espaço dos jovens valores. Só faltou torcedor se jogando da marquise…

A Diretoria manteve o técnico Felipe Capra, mas dispensou o zagueiro Rafael Galati. Há rumores, entretanto, que Capra conta com o beque para o 4º Torneio Metropolitano.

O fato é que a reformulação do elenco é necessária. Karatê Kenji, Rafael Borelli e Giancarlo foram os únicos que se salvaram em Brotas e devem ter mais chances. Sem isso, o ABCD deve ficar em último também na Metropolitana.

SuperCopa 2018: decisão está nos Tribunais

Espera longa: Panteras aguardam chegada dos Boleiros de La Roça por mais de hora, apesar do regulamento prever WO

Nesta segunda-feira, foi protocolizado um pedido dos Panteras requerendo os pontos da partida contra os Boleiros de La Roça.
O pedido está ancorado nos artigos 6.2, 6.4 e 6.5 do regulamento, e requer também a imediata apreensão da taça entregue aos campeões. Diante da urgência, o pleito já foi encaminhados à Comissão de Recursos formada por Tati Fortes, Aline Penha e Bruna Loureiro. A decisão deve sair nos próximos dias.
Pelo que apuramos, a tendência é que seja dado provimento ao recurso. Tano que a APADEP já iniciou a prospecção de quadras, na cidade de Campinas. A data que é trabalhada pela diretoria é dia 24 de dezembro.
Entretanto, caso seja improvido, os Panteras iniciam suas férias, devendo retornar às atividades apenas em agosto de 2019.